segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Plantar e cultivar - I

Compostagem

Sempre amei o verde e o colorido das plantas. O contato com a terra é algo necessário em minha vida. O fato de andar pelas estradas sempre a mudar, me privou um pouco deste contato tão precioso. Decidi, de agora em diante, eu vou fazer a minha hora e não esperar acontecer.
Esse é o início da minha pequena horta. Usei como sementeiras pequenas bandejas e vasilhas plásticas, todas reaproveitáveis.

Vi o que se passa com o meu mundo, poluição, consumismo exacerbado. Se os poderosos não fazem nada, eu vou ficar de braços cruzados? O que posso fazer parece pouco, mas entendo que, se cada um fizer a sua parte, o pouco se torna muito. Essa é a herança que quero deixar a meus filhos e netos.
Meu projeto é bem simples e parte do princípio de que 90% do lixo que jogamos fora, não precisa ser necessariamente “lixo”, embalagens descartáveis, recicláveis e reutilizáveis podem e devem ser aproveitadas. Cada um a sua maneira pode fazer alguma diferença.
A Embrapa vem desenvolvendo várias alternativas para o uso sustentável de material descartável. Comecei pelo lixo orgânico. Para cada situação uma solução diferente. No meu caso, como moro em apartamento é inviável o aproveitamento de restos de comida e carne. Esse no momento não tem jeito, mas os restos de verduras e legumes, bem como cascas de ovo são separados do restante e depositados em um saco de plástico com terra.
Por enquanto utilizo o saco plástico por não ter ainda um depósito mais apropriado. A cada adição de material orgânico eu deposito uma pequena camada de terra e uma vez por semana misturo tudo. E assim faço a compostagem. Em todo caso, é necessário uma explicação mais técnica e a maneira como faço a minha compostagem é uma adaptação de um trabalho muito bem feito pelo site:

http://www.planetaorganico.com.br/composto2.htm

1) Compostagem e Composto: definição e benefícios


A compostagem é o processo de transformação de materiais grosseiros, como palhada e estrume, em materiais orgânicos utilizáveis na agricultura. Este processo envolve transformações extremamente complexas de natureza bioquímica, promovidas por milhões de microorganismos do solo que têm na matéria orgânica in natura sua fonte de energia, nutrientes minerais e carbono.
Por essa razão uma pilha de composto não é apenas um monte de lixo orgânico empilhado ou acondicionado em um compartimento. É um modo de fornecer as condições adequadas aos microorganismos para que esses degradem a matéria orgânica e disponibilizem nutrientes para as plantas.

Mas, o que é exatamente o composto?


Dito de maneira científica, o composto é o resultado da degradação biológica da matéria orgânica, em presença de oxigênio do ar, sob condições controladas pelo homem. Os produtos do processo de decomposição são: gás carbônico, calor, água e a matéria orgânica "compostada".
O composto possui nutrientes minerais tais como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre que são assimilados em maior quantidade pelas raízes além de ferro, zinco, cobre, manganês, boro e outros que são absorvidos em quantidades menores e, por isto, denominados de micronutrientes. Quanto mais diversificados os materiais com os quais o composto é feito, maior será a variedade de nutrientes que poderá suprir. Os nutrientes do composto, ao contrário do que ocorre com os adubos sintéticos, são liberados lentamente, realizando a tão desejada "adubação de disponibilidade controlada". Em outras, palavras, fornecer composto às plantas é permitir que elas retirem os nutrientes de que precisam de acordo com as suas necessidades ao longo de um tempo maior do que teriam para aproveitar um adubo sintético e altamente solúvel, que é arrastado pelas águas das chuvas.

Outra importante contribuição do composto é que ele melhora a "saúde" do solo. A matéria orgânica compostada se liga às partículas (areia, limo e argila), formando pequenos grânulos que ajudam na retenção e drenagem da água e melhoram a aeração. Além disso, a presença de matéria orgânica no solo aumenta o número de minhocas, insetos e microorganismos desejáveis, o que reduz a incidência de doenças de plantas.


Cobertura de palha



Na agricultura agroecológica a compostagem tem como objetivo transformar a matéria vegetal muito fibrosa como palhada de cereais, capim já "passado", sabugo de milho, cascas de café e arroz, em dois tipos de composto : um para ser incorporado nos primeiros centímetros de solo e outro para ser lançado sobre o solo, como uma cobertura. Esta cobertura se chama "mulche" e influencia positivamente as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo. Dentro os benefícios proporcionados pela existência dessa cobertura morta no solo, destacam-se :


*Estímulo ao desenvolvimento das raízes das plantas, que se tornam mais capazes de absorver água e nutrientes do solo.

*Aumento da capacidade de infiltração de água, reduzindo a erosão.

*Mantém estáveis a temperatura e os níveis de acidez do solo (pH).

*Dificulta ou impede a germinação de sementes de plantas invasoras (daninhas).

*Ativa a vida do solo, favorecendo a reprodução de microorganismos benéficos às culturas agrícolas.

Preparar o composto de forma correta significa proporcionar aos organismos responsáveis pela degradação, condições favoráveis de desenvolvimento e reprodução, ou seja, a pilha de composto deve possuir resíduos orgânicos, umidade e oxigênio em condições adequadas.





Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails