sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Chuva de ontem


Minha casa tem um quintal em 3 níveis, mas olha só como ficou meu quintal durante as chuvas de ontem, a saida de águas pluviais é até grande, mas o volume foi tão grande que não deu vazão. Quase deu prá nadar. A escada que dá para o 2º nível virou uma cachoeira.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

De Mário para Drummond


trecho de uma das cartas entre Mário de Andrade e Carlos Drumond de Andrade. Naquela, dizia Mário:
"Só há um jeito de viver a vida: é ter espírito religioso. Explico melhor: não se trata de ter espírito católico ou budista, trata-se de ter espírito religioso com a vida, isto é, viver com religião a vida.
Eu sempre gostei muito de viver, de maneira que nenhuma manifestação da vida me é indiferente."
São Paulo, 10 de novembro de 1924. Mário de Andrade.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Minhas madrinhas

A Kristal do Blog Trabalhos em artes manuais fez uma homenagem a sua mentora no mundo dos blogs, vou copiar a idéia e fazer também a minha homenagem. A madrinha ou padrinho de um blog é aquela pessoa que nos introduz no universo blogueiro. Nos ensina as manhas, nos incentiva. Está sempre presente. Eu tenho não uma, mas duas amigas blogueiras que merecem uma sincera homenagem.

Nancy "Estrelinha querida" do Blog Estrela Guia que literalmente fez o passo-a-passo junto comigo para que eu fizesse o Plantar & Cultivar.



E a minha querida Chef Marlene do Blog Saladiche que é uma companheira atuante e incansável, sempre pronta e amiga de todas as horas. Às duas o meu carinho e a minha admiração.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Repelente natural contra a dengue


REPELENTE DE CITRONELA
Com a guerra declarada ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, a citronela é a planta medicinal do momento. Conhecida por suas propriedades de repelir moscas e mosquitos.
Você pode preparar em casa uma loção repelente.
T i n t u r a

200g da planta seca e triturada
1 litro de álcool comum (para uso externo) a 70%
1 vidro de boca larga e escuro, de preferência, com capacidade mínima de 1 litro
1 frasco escuro para acondicionar
1 funil
1 papel filtro
pano branco e limpo para coar e etiquetar

Modo de fazer

Pesar 200g da planta seca e triturada. Colocar num frasco de boca larga. Despejar 1 litro de álcool a 70% sobre a erva. Tampar o frasco e cobrir com papel escuro, se o vidro for claro. Deixar em maceração por no mínimo 8 e no máximo 21 dias, em local seco e protegido da luz. Agitar 2 vezes diariamente. Coar com o pano branco e completar o volume para 1 litro, passando mais álcool a 70% sobre o resíduo da planta. Filtrar em papel filtro e guardar em frasco escuro. Rotular.
Validade: 2 anos

Fonte:
Texto:http://www.katando.com/dica.htm

domingo, 25 de janeiro de 2009

Diabetes - cuidados com os pés


Quando se tem diabetes, é muito importante cuidar dos pés. Um alto nível de glicose no sangue pode afetar os nervos dos pés e causar problemas de circulação do sangue. O primeiro sintoma é uma sensação de formigamento e "agulhadas".

Outro sintoma comum é a perda da sensibilidade dos pés: a pessoa passa a não sentir pressão ou alteração da temperatura. Se tiver uma lesão qualquer, o diabético pode não se dar conta dela imediatamente, facilitando o surgimento de infecções.

O assunto é sério: a infecção ou falta de circulação do sangue podem causar até mesmo a necessidade de uma amputação. Antes disso, a falta de circulação do sangue provoca dor nas pernas ou nos pés, especialmente quando se faz exercício físico, e até mesmo dor ou sensação de cansaço nas pernas durante a noite.

Os pés podem também apresentar feridas que não se curam, podem inchar, apresentar coloração azul. A planta dos pés pode ressecar e rachar.

Daí a importância de um exame detalhado e periódico dos pés pelo médico.

Além disso, há algumas orientações para o cuidado com seus pés no dia-a-dia. Seguidas de forma correta, podem afastar eventuais problemas no futuro.

Orientações para os cuidados dos pés

Examine seus pés todos os dias para verificar a presença ou surgimento de bolhas, rachaduras, cortes ou pele seca entre os dedos ou na planta do pé. Use um espelho ou peça ajuda a terceiros se tiver dificuldade para se examinar. Na presença de qualquer lesão, o médico deve ser consultado.


Lave os pés todos os dias com sabão neutro e água morna, controlando a temperatura da água para garantir que não esteja demasiadamente quente. Enxugue bem os pés, principalmente entre os dedos.


Evite colocar os pés de molho, para não ressecá-los.


Use loção ou creme no dorso e planta dos pés (exceto entre os dedos), especialmente nas áreas mais ressecadas.


Apare as unhas dos pés com uma lixa, em vez de cortá-las. Use sempre a lixa cuidadosamente em linha reta de um lado para o outro.


Antes de calçar meias e sapatos, verifique se não há nada dentro deles que possa eventualmente pressionar e machucar os pés.


Use calçados confortáveis. Durante todas as estações do ano, use sapatos fechados, que oferecem maior proteção.


Mesmo dentro de casa, evite andar sem algum tipo de calçado.


As meias de algodão ajudam a manter os pés secos. Para aquecer os pés, use meias de lã.


Evite o uso de almofadas elétricas ou bolsas de água quente para esquentar os pés.


A remoção de calos ou verrugas só deve ser feita por um especialista. Jamais se deve removê-los sem orientação médica, para não provocar algum tipo de lesão ou até mesmo causar infecções.


O médico pode ajudar a desenvolver o melhor tratamento para os cuidados com os pés.

Fonte:
Texto:http://www.diabetesnoscuidamos.com.br
Foto: imagens da internet

Caminhões de lixo


Um dia peguei um taxi e fomos direto para o aeroporto.
Estávamos rodando na faixa certa quando de repente um carro preto
saltou do estacionamento na nossa frente.
O motorista do taxi pisou no freio, deslizou e escapou do outro carro
por um triz! 
O motorista do outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós. 
O motorista do taxi apenas sorriu e acenou para o cara.
E eu quero dizer que ele o fez bastante amigavelmente.
Assim eu perguntei: 'Porque você fez isto? Este cara quase arruína o
seu carro e nos manda para o hospital!'
Foi quando o motorista do taxi me ensinou o que eu agora chamo 'A Lei
do Caminhão de Lixo".
Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo. Andam por
ai carregadas de lixo, cheias de frustrações, cheias de raiva, e de
desapontamento. A medida que suas pilhas de lixo crescem, elas
precisam de um lugar para descarregar, e às vezes descarregam sobre a
gente. Não tome isso pessoalmente.
Apenas sorria, acene, deseje-lhes bem, e vá em frente. Não pegue o
lixo delas e espalhe sobre outras pessoas no trabalho, em casa, ou nas
ruas.
O princípio disso é que pessoas bem sucedidas não deixam os seus
caminhões de lixo estragarem o seu dia. A vida é muito curta para
levantar cedo de manhã com remorso, assim... Ame as pessoas que te
tratam bem. Ore pelas que não o fazem.
A vida é dez por cento o que você faz dela e noventa por cento a
maneira como você a recebe!
Tenha um bom dia, livre de lixo!

Fonte: Desconheço a autoria

sábado, 24 de janeiro de 2009

ESPELHO



Ninguém pode estragar o seu dia, a menos que você permita.
O colunista Sydney Harris acompanhava um amigo a banca de jornal.
O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas, como retorno, recebeu o jornal que foi atirado em sua direção.
O amigo de Sydney sorriu atenciosamente e desejou ao jornaleiro um bom final de semana.
Quando os dois amigos desciam pela rua, o colunista perguntou:
- Ele sempre te trata com tanta grosseria?
- Sim, infelizmente é sempre assim.
- E você é sempre tão atencioso e amável com ele?
- Sim, sou.
- Por que você é tão educado, já que ele é tão rude com você?
- Porque não quero que ele decida como eu devo agir.
Nós somos nossos "próprios donos".
Não devemos nos curvar diante de qualquer vento que sopra, nem estar à mercê do mal humor, da mesquinharia, da impaciência e da raiva dos outros.
Não são os ambientes que nos transformam e sim nós que transformamos os ambientes.
"Os tristes acham que o vento geme.
Os alegres e cheios de espírito afirmam que ele canta".
O mundo é Como um espelho, devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos.

A maneira como você encara a vida faz toda a diferença!

Azeite de oliva

Harmonia do azeite na comida

Os diferentes tipos de óleo de oliva combinam com diferentes tipos de prato, harmonizando sabores


Comer uma salada de folhas frescas, um peixe assado ou uma fatia de pão italiano, remetenos imediatamente a regá-los com um bom azeite. Pode parecer que um bom óleo de oliva, de qualquer variedade, fique perfeito com quase tudo o que comemos - de certa maneira isso é mesmo verdade -, mas, quando selecionado de maneira apropriada, ele realça de forma ainda mais agradável o prato a ser degustado.

Do mesmo modo que nos acostumamos a escolher o tipo de vinho que melhor se adapta a um prato, a espécie de azeite também deve ser previamente selecionada. A harmonização do óleo pode ser considerada ainda mais difícil que a do vinho. A relação do fermentado com a comida é uma degustação alternada, é um acompanhamento para o prato. No caso do azeite, tal relação se torna simultânea, é parte do mesmo prato. Ele pode ser misturado à receita desde seu preparo até sua finalização, é uma harmonização de concordância, não de contraposição.



Boas combinações
Não existe, contudo, uma regra específica para harmonizá-lo. Deve-se experimentar produtos de diferentes cultivos a fim de identificar aquele que melhor se encaixa com um determinado prato, levando em conta, principalmente, o gosto de cada pessoa, o seu paladar.

Convencionalmente, considera-se que o azeite deve combinar com o alimento por sua intensidade, para que não camufle, mas realce o sabor do prato. Portanto, alimentos com sabor mais acentuado pedem um óleo com aroma mais intenso e picante; pratos mais delicados - como um peixe cozido -, solicitam azeites frutados; as saladas buscam os mais perfumados; e as carnes brancas e legumes chamam os com sabor amendoado.

Em sua harmonização, é muito importante analisar a preparação do prato, quando utilizado, por exemplo, no preparo de uma receita quente. Neste caso, o azeite será cozido em fogo alto e perde-se um pouco de seu sabor. Sendo assim, em pratos crus ou na finalização de um quente, o cuidado deve ser maior. Recomenda-se, portanto, o uso de um azeite de boa qualidade, um óleo de oliva extra virgem preferêncialmente.



Método
Segundo o método Cerretani, Biasini, Bonoli-Carbognin, Bendini, desenvolvido na Itália, devem ser identificados os principais atributos do alimento: doçura, amargor, acidez, especiarias, aroma e gordura.

Quando marcados pelo sal, por gostos mais fortes, e quando o prato é muito aromático, composto por especiarias, este deve ser harmonizado com um azeite mais frutado (característica encontrada em azeitonas maduras), sempre acompanhando a intensidade da comida.

Já alimentos com sabor tendendo mais para o amargo são equilibrados com a juventude de um óleo mais fresco e amargo, que traz uma sensação picante à garganta, características de um cultivo mais verde.

Pratos com gordura acentuada, ou então doces, harmonizam-se melhor com azeites de notas mais doces, mais suaves, também de azeitonas maduras. No caso de alimentos ácidos, mantém-se a combinação com um óleo mais doce, para contrabalancear a acidez do prato.

Seguir este método auxilia na harmonização e ajuda na compreensão do que combina com as diferentes características dos alimentos. O mais importante, porém, é degustar azeites de diferentes tipos para conhecer sua vasta variedade de sabores e aromas e suas nuances conforme a maturidade do fruto, para, por fim, combiná-los conforme o seu paladar.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAIS DE DIFERENTES AZEITONAS
Oliva Origem Sabor mais acentuado
Picual Espanha frutado
Arbequina Espanha frutado
Hojiblanca Espanha doce
Lechin Espanha amargo, picante
Verdial Espanha frutado, doce
Empeltre Espanha doce
Picudo Espanha doce
Coratina Itália frutado
Frantoio Itália frutado, picante
Koroneiki Grécia frutado
Leccino Itália frutado leve

Fonte: texto Por João Calderón
Fotos: imagens da internet

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Tomateiro = salada

Bem diz o ditado, quem planta, colhe! Neste caso, eu não plantei, nasceu sózinho. Minha pequena horta de apartamento está dando frutos.



Colhi tomates, salsa, manjericão, manjericão roxo, orégano.



Com minha colheita, uma maçã ralada e suco de um limão eu fiz esta deliciosa salada. Sal e pimenta a gosto.



Ai está Marlene, esta salada é prá você minha amiga.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Frango com pequi

Mais um tesouro que trouxe de Minas.

A flor

É impossível descrever o aroma e o sabor do pequi. Só quem já provou é que pode dizer, amado por uns odiado por outros (como meu marido por exemplo) , mas inegavelmente a fruta símbolo de Goiás. Na estação do pequi todo o centro-oeste se incendeia com o aroma e o sabor desta perfumada e exótica fruta. (Dizem que é afrodisíaca)

O fruto


do qual se aproveitam apenas os caroços carnudos, perfumados e coloridos, mas cuidado, nunca morda um pequi, sua amêndoa é revestida por minúsculos espinhos que machucam os desavisados, apenas raspe com os dentes.

A receita

1 unidade de frango cortado nas juntas (2 kg e meio, mais ou menos)
1 kg de pequi fresco ou 1 xícara de polpa de pequi em conserva ou congelada
2 unidades de cebola grande cortada em rodelas finas
2 xícaras de chá de óleo de soja para refogar o frango
sal e pimenta de cheiro a gosto
1 unidade de cabeça grande de alho roxo (descascado e picado grosseiramente)
cheiro verde (salsa e cebolinha verde) picado a gosto

Como preparar



1- Frite a cebola no óleo de soja até que fique bem marrom, quase ponto de queimada, junte os cortes de frango (de preferência sem pele, mas isso é opcional) frite o frango já temperado a seu gosto, neste óleo até que fique bem dourado e seque todo o líquido que ele soltou, vai começar a fritar, deixe dourar bem e retire os pedaços de frango do óleo. Reserve este óleo para outros usos, ele é riquíssimo em mau colesterol.
2- Junte os pequis frescos ou a poupa, na mesma panela em que fritou o frango, junte o alho e se gostar, mais cebola, refogue um pouco e junte os cortes de frango.
3- Adicione água fervente, até que cubra o frango (não muita, para não ficar uma sopa, queremos um molho) deixe cozinhar até que o frango esteja macio e o molho bem grosso e substãncioso. Salpique bastante cheiro verde e sirva bem quente acompanhado de um arroz branquinho e soltinho.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Diabetes e uma dieta sadia


Quando o assunto é diabetes, uma dieta sadia começa bem antes de se sentar à mesa. É o que se chama Planejamento Alimentar: escolher alimentos adequados, controlar o peso e equilibrar a quantidade do que se come com as calorias que se gastam.

Escolha dos alimentos

Pães, vegetais, frutas e doces afetam o nível de glicose no sangue de várias formas. Como escolher e o que comer? Primeiro: a orientação de um nutricionista é fundamental para fazer a escolha certa. Segundo: ter disciplina e seguir à risca o que for indicado. E algumas dicas que você já pode seguir sobre os tipos de alimentos a consumir e a evitar, a utilização de temperos e sal, a importância de se ler as informações das embalagens de produtos.



Comer fora de casa

De que adianta você tomar todos esses cuidados em casa se, ao sair, corre o risco de perder o controle do nível de glicose no sangue? Existem algumas formas de você planejar essas saídas.

Saber com antecedência o que vai ser servido e levar algo de acordo com o plano alimentar pode ser uma saída. Em restaurantes, o ideal é pedir alimentos assados ou grelhados, acompanhados de salada e com molho à parte.

Bebidas Alcoólicas

Para quem usa insulina ou comprimidos, bebida alcoólica pode representar perigo para o nível de glicose no sangue. Mas isso não significa que não se pode beber. Não é aconselhável, porém, tomar mais de duas doses por dia, considerando-se que uma dose-referência para o diabético equivale a um cálice de vinho, uma lata de cerveja ou meia dose de destilado. É imprescindível, também, fazer o teste do nível de glicose no sangue depois de beber.

Outras dicas: beber lentamente e como acompanhamento da comida, dar preferência à cerveja light ou sem álcool e combinar a bebida alcoólica com água mineral ou refrigerantes dietéticos.



Dicas para uma dieta sadia

Controle a quantidade de alimentos a ser ingerida.

Utilize alimentos ricos em fibra, tais como frutas e vegetais frescos; pão e cereais integrais; feijão e legumes; arroz integral, cevada e aveia. Todos evitam que o nível de glicose suba muito rapidamente depois de sua ingestão.

Elimine manteiga, margarina, óleo, molhos de saladas e creme na comida ou durante o preparo da refeição.

Evite carne com gordura, leite integral, queijo e frituras. Retire a pele da galinha, separe a gordura da carne antes de cozinhar ou comer. Tome leite semi-desnatado ou desnatado.

Tome cuidado com o que pedir em restaurantes e lanchonetes. As comidas do gênero "fast food" geralmente têm muita gordura.

A pressão arterial alta é comum em pessoas com diabetes. Por isso, não utilize sal nos alimentos, mesmo no seu preparo. Use temperos sem sal, como alho em pó, cebola, pimenta e ervas.

Evite alimentos como carnes defumadas, pepinos curtidos, batatas fritas, salames. Eles contém muito sal.

Leia os rótulos das embalagens. Elas costumam trazer o valor nutritivo e as calorias dos alimentos, entre outras importantes informações.

Anote o que se come. Isso ajuda ao controlar a quantidade e a qualidade dos alimentos, além de saber qual deles pode estar afetando o seu nível de glicose no sangue.

Fontes
Texto:http://www.diabetesnoscuidamos.com.br
Imagens: Acervo do Plantar & Cultivar

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Diabetes


Uma amiga muito querida está com diabetes. Por este motivo, abro aqui um espaço para falar sobre este mal que atinge uma grande parcela da população.

Noções básicas

O diabetes é uma enfermidade que provoca o aumento da quantidade de açúcar (glicose) no sangue por falta absoluta ou relativa de insulina.

Aumento da quantidade de glicose no sangue

Transformamos grande parte dos alimentos que ingerimos em glicose. Essa glicose é transportada no sangue até as células, onde será usada como fonte de energia. Para facilitar esse transporte, nosso corpo produz uma substância chamada insulina. Quando se tem diabetes, o corpo não produz insulina ou não produz o suficiente, ou ainda a insulina produzida não funciona adequadamente. Daí o aumento da quantidade de glicose no sangue.

Alto nível de glicose no sangue: sintomas e conseqüências

Sem a insulina ou com o funcionamento inadequado dela, a glicose vai-se acumulando no sangue e é eliminada na urina. Os sintomas do diabetes são cansaço, perda de peso, sede, necessidade freqüente de urinar e visão turva. Com o tempo, podem surgir sérios problemas nos olhos - levando até à cegueira -, nos nervos, no coração, nos pés, nas artérias e nas veias.

Os tipos de diabetes:

Diabetes do Tipo I (diabetes mellitus insulinodependente):
A falta de insulina ou sua produção insuficiente pelo corpo obriga a pessoa a aplicar insulina. Ocorre com mais freqüência em jovens.

Diabetes do Tipo II (não insulinodependente):
É o caso de pessoas que produzem insulina, que não funciona de forma adequada. Atinge mais os adultos, pessoas com antecedentes familiares de diabetes ou com excesso de peso. Alimentação adequada, exercícios físicos, controle de peso e, em alguns casos, medicamentos, sejam comprimidos ou insulina, ajudam no controle desse tipo de diabetes.



Testes para se detectar glicose no sangue

Os testes mais comuns são:
colocar uma gota de sangue em um medidor especial;

teste da urina, usando uma fita especial que, em contato com a urina, acusa a presença de glicose ou cetonas. A presença de cetonas na urina pode significar que o nível de glicose no sangue está descontrolado;

exame de sangue chamado HbA1C, que mostra o nível médio de controle da glicose sangüínea (glicemia) nos últimos 2 ou 3 meses. É um exame importante para o controle durante o tratamento do diabetes.

De qualquer forma, a indicação sobre o teste mais apropriado deve ser feita pelo médico.


Baixo nível de glicose no sangue - Hipoglicemia

A insulina ou comprimidos, ao mesmo tempo em que ajudam a controlar o diabetes, podem baixar o nível de glicose no sangue, especialmente durante ou depois da prática de exercícios físicos. (Outros fatores que podem levar a esse quadro são a alimentação insuficiente ou o uso de medicamentos em excesso).


Sintomas de baixo nível de glicose no sangue

Os sintomas são tremor, tontura, irritabilidade, sudorese e cansaço. Na presença de alguns desses sintomas deve-se comer ou beber imediatamente algum alimento doce. Importante: procurar sempre a melhor orientação com o médico, sobre como evitar tais situações devido à hipoglicemia.

Fontes:

Texto: http://www.diabetesnoscuidamos.com.br

Ilustrações: http://blog.cancaonova.com/minhafamilia/2008/07/23/diabetes/
http://www.pgr.mpf.gov.br/pgr/saude/doencas/diabetes.htm

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Mais de mil

Recados e Imagens - Blogs - Orkut

Recados, Gifs e Imagens no Glimboo.com



Quando criei o Plantar & Cultivar, minha intenção era falar um pouco sobre o meu projeto de uma horta em apartamento. Acabei falando de tudo, amigos, receitas, protestos, afinal na vida também precisamos plantar e cultivar todas essas coisas que nos fazem felizes. Hoje completamos 1015 visitas. O meu muito obrigada a todos que me visitam, deixem ou não um comentário.

1.000.000 de beijocas a todos


Recados e Imagens - Beijos - Orkut

Recados, Gifs e Imagens no Glimboo.com

Os tomateiros

Meu pequeno projeto de horta em apartamento está rendendo frutos. E que frutos, olhe só minha futura colheita de tomates.A verdade é uma só, tudo o que você plantar, irá colher. Sem dúvida alguma!






Tesouros de Minas



Tem certas coisas que você não encontra em todo e qualquer lugar. São especiarias e temperos, ingredientes e outras delicias que são específicas de cada região. Umbú no nordeste, cupuaçú no norte, pimenta bode em Minas. Minas é uma campeã. Em que outro lugar você encontra uma farinha bijú como esta.


Nesta minha viagem a Minas, trouxe na bagagem alguns tesouros.

Farinha de mandioca bijú e polvilho caipira de Monte Alegre de Minas, na saida de Uberlândia em direção a Uberaba, chova ou faça sol, domingo ou feriado, você encontra uma kombi branca no acostamento. Já sou freguesa deles a 3 anos e só passo por lá duas ou três vezes ao ano. Se passar por lá, não tenha dúvidas, pare e experimente a melhor farinha de mandioca bijú que você já provou. Um saco enorme por 10 reais, vale realmente a pena. Além do polvilho alvo e soltinho, que dá cada pão de queijo.


Outro tesouro que trouxe de Minas foram as pimentas, principalmente as bode, vermelhas e amarelas. O pessoal desta região em que moro, não tem uma tradição em pimentas. Fiquei decepcionada ao ir a feira livre e não encontrar uma pimenta sequer. Não tive dúvidas, fã de pimentas como sou, trouxe pimentas em conserva de Uberaba e algumas in natura que fiz conserva assim que cheguei de viagem. Fiz inclusive uma conserva de pimenta em molho de pequi que passo a receita a seguir.


Conserva de pimenta bode em molho de pequi



1 kg de pimentas de sua preferência, lavadas e escorridas.
1 colher (sopa) de tempero pronto
1 kg de pequi fresco ou duas colheres (sopa) massa de pequi
1 garrafa ou vidro com tampa de rosca esterilizado
1 xícara (chá) de vinagre de maçã ou suco de limão

Modo de preparo:

1- Coloque os pequis para cozinhar, assim que levantar fervura, conte 10 minutos e desligue o fogo. Retire os pequis e reserve para outras receitas.

2- Pegue a água do cozimento e leve ao fogo novamente. Deixe reduzir pela metade, junte vinagre de maçã ou suco de limão, mais ou menos 1 xícara de chá, o tempero pronto e se desejar, dentes de alho inteiros e descascados.

3- Coloque as pimentas no vidro ou garrafa, despeje o molho fervente . É aconselhável realizar este processo com o vidro em banho maria, para que não trinque por choque térmico. Deixe esfriar naturalmente. Tampe e espere duas semanas antes de utilizar.
Se desejar um molho mais picante, junte duas colheres de óleo de soja ao molho fervente.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

CAMBUCÁ



Frutífera nativa do Brasil com frutos amarelos grandes produzidos diretamente no caule e galhos, semelhante à Jabuticaba. Uma das melhores frutas brasileiras para consumo ao natural.
Luz : Pleno sol
Clima : Tropical e Subtropical
Solos : Vários tipos de solos.
Origem : Brasil
Você conhece essa árvore?

Visitei o blog do Projeto Cambucá e extraí o texto abaixo para apresentar a vocês esta frutinha brasileira mais gostosa até do que a própria jabuticaba, mas tão pouco conhecida e ainda correndo sério risco de extinção. Conheço cambucá desde menina, Na Fazenda Ermida tinha um pé enorme no pomar, eu gostava mais da época do cambucá do que da jabuticaba ou da pitanga, que adoro. Neste final de ano ao passar pelo sítio de meu avô vi um pé, que por sinal está enorme e meu pai me deu uma mudinha que ele fez. É esta na caixinha de leite ( Seu Negreiros também recicla...kkkk), mais um habitante para a minha pequena floresta de apartamento, vou mantê-la como bonsai, até o dia em que resolva me estabelecer. Enquanto isso, ela vai percorrer o Brasil, junto com a gente.



Já comeu o seu fruto?

Por aqui se fala tanto em cambucá, mas muita gente não conhece nem árvore, nem fruto. É uma pena... Mas vamos mudar essa situação e tornar o cambucá mais conhecido e mais plantado.

O cambucá, ou cambucazeiro, é identificado cientificamente pelo nome Plinia edulis; é da família Myrtaceae, como a jabuticaba, a pitanga, o araçá... Ou seja, é de uma família de fruta boa!



O cambucá é um árvore nativa de Mata Atlântica, e é muito "caprichosa": "é rara e pode ser encontrada em várzeas aluviais e início de encostas úmidas, quase que exclusivamente no interior de mata primária densa, sua produção de semente é irregular e pequena ( Lorenzi, Harri, Árvores Brasileiras)".

Com a redução da área ocupada pela Mata Atlântica e pelo seu sofrimento constante em função das ações do homem, não é de se admirar que o cambucá se torne cada vez mais raro.

Muitas pessoas têm o cambucá plantado em seus quintais, sítios e fazendas. Ela é um bela árvore e sua copa tem o formato piramidal. É uma árvore muito semelhante à jabuticabeira e cresce lentamente como ela. Mas vale esperar por seu crescimento. Seus frutos são saborosos (mais do que jabuticaba, se é que isso é possível!) e atraem muitos pássaros.



Normalmente a floração ocorre a partir do final de outubro e prolonga-se até dezembro. Os frutos amadurecem de dezembro a janeiro. (Mas como o clima está "louco", neste ano deu frutos também em maio, junho e julho. A foto desta postagem foi tirada em junho deste ano).(A foto em questão, não está aqui e sim no blog, esta foto foi tirada por Anestor Mezzomo)


Deu vontade de comer cambucá?

Plante um, dois, vários, muitos! Você não vai se arrepender e seus filhos e netos vão lhe agradecer! E nós também!
Postado por Projeto Cambucás às 18:59

Fontes
Textos:http://projetocambucas.blogspot.com/
Fotos: a muda na caixinha de leite é minha as outra foram gentilmente cedidas por Anestor Mezzomo. A ele o meu muito obrigada e a a minha admiração por seu trabalho. Ainda vou falar sobre o Anestor e o belo trabalho que ele realiza disponibilizando um acervo incrível com frutas e plantas brasileiras, sejam raras ou corriqueiras.

ESCOLHAS





Se eu pudesse escolher seria feliz por, pelo menos, oito horas por dia. Todos os dias.
Reservaria o tempo restante para viver as pequenas agruras naturais. Mas seriam leves.
Porque haveria a certeza de que a cada dia eu teria a minha cota de felicidade.

Se eu pudesse escolher reservaria algumas horas, todos os dias, para fazer só o que pudesse fazer os outros felizes. Dedicação total.

Se eu pudesse escolher, pararia qualquer coisa que estivesse fazendo às cinco horas da tarde e me sentaria para assistir ao pôr do sol. Escolheria lugares especiais. Procuraria não me repetir muito.
O horário do pôr do sol seria algo assim, sagrado. O meu horário para observar a Deus.

Se eu pudesse escolher, viveria entre o mar e as montanhas. No meio do caminho. Nem muito longe de um, nem muito longe do outro.
Plantaria flores, teria vasos na janela, muitos livros na cabeceira da cama e á noite, depois do trabalho - sim, porque se eu pudesse escolher trabalharia sempre, produziria sempre - eu me sentaria para contemplar o céu, as estrelas, a noite.

Se eu pudesse escolher, sorriria sempre. Mas choraria também, ás vezes, para não esquecer o que a lágrima significa. Viver só de sorrisos não é uma boa opção.

Se eu pudesse escolher, faria uma declaração de amor todos os dias. Só para sentir aquele sabor de ridículo que nos enche á alma e que é imprescindível á felicidade.

Se eu pudesse escolher, plantaria sementes e "perderia" horas vendo-as germinar e lamentaria por aquelas que não conseguissem se transformar em flor.

Se eu pudesse escolher, viveria a vida de uma forma mais leve, menos dolorosa, mais intensa, menos angustiante.
Nem sempre temos como opções as escolhas que faríamos se pudéssemos escolher. Mas há escolhas que nos são oferecidas sempre.
A de provocarmos sorrisos, de abraçarmos, de dizermos que amamos para quem amamos mesmo que eles não entendam o que é amor.
A possibilidade de transformarmos dentro de nós o cenário e aprendermos que, como não temos muitas escolhas, precisamos viver quinze minutos de felicidade com tanta intensidade que eles possam ser transformados em horas, dias, meses, no tempo que escolheríamos.

Se pudéssemos escolher...

Vou escolher melhor em 2009.

(autor desconhecido, fonte www.metaforas.com.br)


Foto da internet: autor desconhecido

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Uvas de Corrupira (Jundiaí)

É bom dizer que minha infância foi muito especial. Quem acompanha meu blog, ja viu diversas vezes eu falar de minha avó, a Dona Cida. Era uma verdadeira abelha rainha, em torno da qual, toda a família se reunia. Pessoa de uma simplicidade incrível e nem por isso, menos sábia. No sítio de Corrupira eu passava todas as minhas férias e a maioria de meus finais de semana. Lá, além do carinho de minha avó, eu tinha a minha disposição um mundo maravilhoso de aromas. Neste Natal eu passei por lá e revivi alguns destes aromas que ficam impregnados em nossa memória afetiva. A uva, mas não qualquer uva, uva de Corrupira é algo que só quem experimenta sabe a diferença. Esse cheirinho de infância, de vó eu não posso passar para vocês, mas as imagens falarão por mim. O galpão, as caixas, as parreiras. Um pouquinho de Corrupira (Jundiaí)para vocês, meus queridos amigos.








Sitio da Fonte (de Flávio Ceolim) Entrada no km 67 da Anhanguera (Posto de apoio Graal)Além das uvas, você encontrará deliciosos vinhos artesanais. Lembro que nesta região a colheita da uva, ainda é sazonal, mês que vem é a época do caqui. Uvas, só de dezembro a janeiro.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Fuzilamento ou embrutecimento

É bonito dizermos palavras gentis e de esperança neste ano que se inicia, mas uma análise crua da realidade também se faz nescessária. Este texto de Cristovam Buarque me chegou as mãos hoje e ele é bem coerente, como sempre.



Em sua autobiografia, o escritor russo Victor Serge escreveu que nos idos de 1933, na URSS stalinista, "não havia um único adulto pensante que alguma vez não tenha achado que podia ser fuzilado". Neste 2008, no Brasil, não existe um único adulto pensante que alguma vez não tenha achado que está embrutecido, moral ou intelectualmente, ou ambos. Perdemos a capacidade de sentir e sofrer com o que se passa ao redor, ainda mais de usar o sentimento para lutar por mudanças na realidade.

Embrutecemo-nos diante da desigualdade, da corrupção, da incoerência na política, do atraso educacional, sobretudo com da violência generalizada. E ficamos sem entender o porquê destas deficiências, apesar do crescimento, da democracia, da eleição de partidos e de líderes portadores de esperança.

Até algum tempo atrás, sentíamos e tínhamos propostas: democracia, desenvolvimento, socialismo. O embrutecimento não ocorria porque explicávamos, propúnhamos e a esperança nos aliviava.

Depois de termos conseguido desenvolver e fazer do Brasil uma potência mundial na economia, termos eleito um presidente vindo das camadas mais pobres, com um discurso radicalmente diferente de todos os anteriores, substituindo outro que também vinha da esquerda, só nos resta o embrutecimento intelectual ao olharmos ao redor e percebermos que nada mudou na estrutura social do País. Continua a exclusão social, a violência urbana, a instabilidade financeira e fiscal. Ainda mais grave, faltam bandeiras, os partidos ficaram iguais, os políticos também.

Quem não se sentiu bruto uma outra vez ou quase sempre ao olhar de dentro do ar-condicionado do carro para os meninos pobres perdidos, pedindo esmolas, cheirando cola, ou simplesmente deitados na calçada ao lado dos pais? Salvo alguns que nem ao menos sentem, não há quem não se sinta bruto uma ou outra vez ao saber que, no Brasil, 60 crianças abandonam a escola a cada minuto do ano letivo. Que apesar de, felizmente, haver políticas públicas, de transferência de pequenas rendas, a concentração de renda não muda, a desigualdade não diminui e a pobreza não reduz a níveis que aliviem nossa brutalidade. O sentimento de embrutecimento vem da aceitação do noticiário diário sobre queima das florestas, morte de jovens, consumo de drogas, miséria, atraso, corrupção.

Ao lado do embrutecimento moral que nos permite viver na sociedade brasileira como ela é, há um embrutecimento intelectual que nos impede de entender a realidade ou nos faz usar uma lógica esdrúxula toda vez que tomamos decisões. Não conseguimos entender a nossa estrutura de classes, tanto que inventamos o conceito de "carros populares"; nem a estrutura de nossa economia, tanto que falamos em meio ambiente e gastamos bilhões de reais do setor público para aumentar as vendas de automóveis; nem o funcionamento de nosso sistema judiciário, tanto que temos surpresas com as prisões de pobres que roubam manteiga e a libertação de ricos que roubam bilhões; não entendemos mais como funciona a política, tanto que as posições de um dia não valem no outro, o prometido na eleição não vale no governo.
O embrutecimento termina nos dando saudades do tempo descrito por Victor Serge. Havia naquele tempo, pelo menos, o sentimento heróico do risco do fuzilamento. Talvez a democracia seja nossa única conquista, livrando-nos dos fuzilamentos, mesmo assim, não há um adulto pensante neste País que alguma vez não tenha achado que pode ser assaltado com todas suas conseqüências, inclusive o fuzilamento por policiais perseguindo bandidos ou por balas perdidas entre eles.

Difícil escolher entre o risco do fuzilamento ou o risco do embrutecimento. O primeiro tira a vida de um ser humano, o outro a dignidade de ser humano. O primeiro exige coragem física, o segundo rouba a coragem intelectual e moral.

Que 2009 chegue sem o risco e sem o embrutecimento. E que o fim do embrutecimento nos dê a lucidez para entender a realidade e formularmos alternativas, e uma ética que nos faça ter coragem intelectual e moral.

Cristovam Buarque é professor e senador pelo PDT-DF.


Que vergonha que dá a tal vulgaridade...
"Êh, êh, vida de gado, povo marcado... êh, povo feliz" (Zé Ramalho)


--

Um Novo ciclo se inicia

Mais um ano se inicia e todos nós temos a esperança de que seja um ano melhor. clichê? Pode ser, mas é isso realmente o que eu desejo. Em minhas andanças passei por Aparecida, infelizmente não consegui chegar nem próximo à basílica, mas tirei esta foto no mirante da pedra e já que iniciamos um novo ciclo, nada melhor do que começarmos sob as bençãos da Mãe Morena, a Mãe de todos nós.



Mãe do Céu Morena


Mãe do Céu morena,
Senhora da América latina
De olhar e caridade tão divina,
de cor igual a cor de tantas raças

Virgem tão serena,
Senhora destes povos tão sofridos
Patrona dos pequenos e oprimidos,
derrama sobre nós as tuas graças

Derrama sobre os jovens tua luz,
aos pobres vem mostrar o teu Jesus
Ao mundo inteiro traz o teu amor de mãe

Ensina quem tem tudo a partilhar,
Ensina quem tem pouco a não cansar
E faz o nosso povo caminhar em paz

Derrama a esperança sobre nós,
Ensina o povo a não calar a voz
Desperta o coração de quem não acordou
Ensina que a justiça é condição
de construir um mundo mais irmão
E faz o nosso povo conhecer Jesus.

Pe. Zezinho, SCJ
Related Posts with Thumbnails