quinta-feira, 28 de outubro de 2010

PEDIDO DE DESCULPAS


(deste pequeno pé de pepino colhi 4 pepinos lindos, é sobre esta e outras experiências com orgânicos que voltaremos a falar.)

Meus amigos, estou emocionada com os comentários. Como notaram, minha ultima postagem foi no dia 30 de março de 2010. Por motivos alheios a minha vontade, estive afastada do blog. Responderei a todos assim que possível e também retomarei as postagens. Agradeço desde já por todo o carinho que recebi enquanto estive afastada. abraços a todos e fiquem Com Deus.

terça-feira, 30 de março de 2010

ENSISTEC - AGRICULTURA ORGÂNICA SUTENTÁVEL


Engº Agrônomo Luiz Geraldo na estufa de tomates na Faz. Malunga

Tomei conhecimento da Ensistec através de seu fundador o Engenheiro Agrônomo Luiz Geraldo de Carvalho Santos que já trabalha a 21 anos orientando e auxiliando o produtor rural do entorno de Brasília principalmente a fazenda Malunga, referência nacional em agricultura orgânica. Conheça um pouco do magnífico trabalho realizado pela equipe da Ensistec e visite o site. Lá você poderá saber como proceder para conseguir esta cartilha muito útil para quem gosta de plantar. Aqui se faz necessária uma correção, a Ensistec atua em todo território nacional. Segundo o próprio Luiz Geraldo, o trabalho desenvolvido pela Ensistec une os pequenos agricultores espalhados pelo país e desenvolve um intercâmbio entre pequenos, médios e grandes produtores. A agricultura orgânica ainda encontra grande resistência por boa parte dos produtores nacionais, um trabalho como o que a equipe de Luiz Geraldo desenvolve ajuda a desmistificar o conceito, afinal são séculos de práticas abusivas ao meio ambiente e que estão arraigadas na tecnologia empregada pelos agricultores. Lembro-me bem que quando eu estudava o que se lia nos livros de geografia era que o Brasil era um país retrógrado por não possuir uma agropecuária de alta tecnologia e isto era deixado bem claro que significava o uso em alta escala de defensivos agrícolas sob o pomposo nome de insumos. Tudo isso associado ao forte poderio das grandes industrias químicas multinacionais. Hoje, graças a um trabalho sério e competente como o do Engº Luiz Geraldo, o termo tecnologia deixou de ser sinônimo de prejuízo ambiental e ganhou um adendo, tecnologia sustentável. O planeta agradece.



Assessoria e Consultoria Técnica

Problemas de pragas, doenças, ou crescimento fraco ou inadequado, causam enorme prejuízos aos produtores, podemos visitar sua propriedade e auxiliá-lo na solução destes problemas, para obtenção de melhor qualidade, maior produtividade, redução de custos, ou melhorar sua posição no mercado, através de modernas técnicas de produção orgânica, como utilização.


Produção Orgânica

Orientamos o produtor para obtenção do selo de certificação de produção orgânica, desde o planejamento de sua produção, passando pela substituição de produtos proibidos por tecnologia orgânica de ponta, tanto para mercado interno, quanto para mercado externo.

Agricultura Sustentável

O mercado está cada vez mais exigente em relação à qualidade dos alimentos e à sua pureza, a maioria das técnicas que utilizamos para produção orgânica, podem ser utilizadas com sucesso para auxiliar na redução, ou eliminação de agroquímicos, permitindo que o produtor convencional dê um salto de qualidade na sua produção, atendendo melhor a seus clientes, de maneira a conquistar a adequação às exigências das grandes redes de supermercados, com ganho de eficiência, e aumento de rentabilidade. Já desenvolvemos este tipo de trabalho em grandes produtores de flores, hortaliças e frutas de mesa.

Criação Animal Orgânica

Implantação de sistemas de produção de ovos orgânicos, incluindo orientações para adequação à legislação de orgânicos e certificação por auditoria, construção do aviário - orientação, materiais, dimensões, iluminação interna, cercamento, poleiros, ninhos, cortinas, escolha do pasto, escolha e dimensionamento de equipamentos para arraçoamento e abastecimento de água, escolha da raça, manejo de temperatura para cada idade, manejo sanitário, manejo dos ovos, transporte dos ovos e auxilio à comercialização.

Implantação de sistemas de produção de carne de frango orgânico, incluindo orientações para adequação à legislação de orgânicos e certificação por auditoria, construção do aviário (orientação, materiais, dimensões, iluminação interna, cercamento, poleiros, ninhos, cortinas), escolha do pasto, escolha e dimensionamento de equipamentos para arraçoamento e abastecimento de água, escolha da raça, manejo de temperatura, manejo sanitário, inscrição no SIF e orgãos estaduais de defesa agropecuária, dimensionamento e orçamentanção de abatedouros, dimensionamento de câmaras frias, conservação da carne, transporte de carne.

Fontes: texto e imagens http://www.ensistec.com.br

quinta-feira, 25 de março de 2010

AGRICULTURA ORGÂNICA NO CENÁRIO NACIONAL E MINHAS EXPERIÊNCIAS


A princípio limitada a feiras especializadas e a um círculo de entregas em domicílio, a venda de alimentos orgânicos ocupa mais espaço nas prateleiras dos supermercados do país. Enquanto o Carrefour prefere não citar números, o Pão de Açúcar e o Wall-Mart relatam um crescimento de 20% a 40% no primeiro trimestre deste ano ante igual período de 2008. Para crescer mais, os processadores querem garantia de que regras não vão mudar e governo finaliza normas para o campo.
(Agrofolha, caderno da Folha de S. Paulo, B 10)



Equanto isso eu vou me defendendo com minha pequena horta orgânica. Não vou negar que a mudança de cidade prejudicou minhas plantas, principalmente ervas como orégano, salsa, cebolinha, sentiram bastante, não sei se foi devido ao excesso de chuvas, mas o fato é que elas não se desenvolveram tanto quanto no ano passado no Rio de Janeiro. em compensação o alecrim, o manjericão, as flores e o açafrão da terra estão lindos e viçosos. Com destaque para o açafrão da terra que apesar de não estar em época de colheita, fui obrigada a colher metade pois não havia mais espaço no vaso para que se desenvolvesse.



Colhi o açafrão e piquei, como aprendi com os produtores de Mara Rosa do goiás, maior produtor nacional de açafrão curcuma (açafrão da terra), coloquei para secar.



Moi bem fininho. E pronto, sem custo alto eu produzi meu açafrão orgãnico, vocês não fazem idéia do aroma que ele exala.



TIRE SUAS DÚVIDAS

AGRICULTURA ORGÂNICA INVESTE NA BANDEIRA DA VIDA MAIS SAUDÁVEL

1- Quando se pode dizer que um alimento é orgânico?

É preciso que o produto contenha ao menos 95% de ingredientes de origem orgânica. Existe certificação para esses alimentos. Produtos com essa fiscalização recebem um selo das empresas certificadoras.

2- O produto orgânico é mais saudável?

Sim, por não ter residuos químicos de fertilizantes, pesticidas ou herbicidas.

3- O alimento orgânico tem mais nutrientes?

Em revisão de dezenas de estudos nos EUA, houve a conclusão de que os orgânicos têm, em média, mais micro-nutrientes, como sais minerais e vitaminas. Mas não é possível garantir que isso ocorra sempre. É possível que um alimento produzido na agricultura convencional tenha mais nutrientes dependendo da variedade e do local.

4- As verduras orgânicas são menores, mais feias e mais caras?

Por não receberem agrotóxicos as plantações podem ser mais atacadas por insetos e doenças. Os produtos têm tamanho e aspecto normal. Os convencionais que recebem aditivos ficam maiores. Quanto ao preço, é possível reduzi-lo quando se compra diretamente do agricultor.

5- A produção orgânica preserva o ambiente?

Sim, por não usar agrotóxicos e adubos químicos, que estão entre as maiores causas de contaminação da água. A agricultura orgânica preconiza a diversificação do uso da terra e rotação de lavouras, que evitam problemas provocados pela monocultura, como o risco à biodiversidade. Combatem-se as pragas com predadores naturais não sendo necessário recorrer a pesticidas. O cuidado com o solo também evita a erosão.

6- Para o produtor, a agricultura orgânica da mais lucro?

Como a maior parte dos ingredientes para a produção deve ser obtida na própria propriedade, o agricultor tende a ter menos gasto com insumos. O lucro maior vai depender de organizar a produção para garantir a oferta nas épocas desejadas.

7- A agricultura convencional tem produtividade maior que a orgãnica?

Pesquisas européias mostraram que as lavouras orgânicas podem apresentar rendimento por área, maior que o método convencional.

Fonte Texto : AGROFOLHA, caderno da Folha de S. Paulo, B10 - terça-feira, 12 de maio de 2009

segunda-feira, 22 de março de 2010

REPELENTE CASEIRO - RESPOSTA A FREDERICO

PLANTAR E CULTIVAR NO COMBATE A DENGUE



E-mail recebido de Ioshiko...

Repelente de Cravo em Aracaju

PARA QUEM AINDA NÃO SABE, IOSHIKO É SOBREVIVENTE DA DENGUE HEMORRÁGICA E UMA DAS MAIORES COMBATENTES DESTA PRAGA QUE ASSOLA O PAÍS.

Ioshiko Nobukuni
mostrar detalhes 19 mar (3 dias atrás)
Vejam onde circula a mensagem do repelente, parece q. criou vida própria, Graças a Deus!
nobukunister@gmail.com

DENGUE
2 mensagens
grace komel (Por motivos de privacidade omitimos o e-mail de Grace Komel) 18 de março de 2010 08:26
Para: nobukunister@gmail.com
Desculpe pela invasão.Vc não me conheçe.Recebi de meu irmão(Norman Komel) q mora em Aracaju,um email com a receita do seu repelente.Fiz,testei e tenho divulgado. Gostaria de te dar os parabéns e agradecer pela divulgação. Aqui tem dado certo. Os mosquitos sumiram. Tenho usado em casa,como perfume ambiente,nos cômodos. Abraço.

Comentários do post RECEITAS CASEIRAS CONTRA DENGUE - MITO OU VERDADE?

Frederico disse...

Nós utilizamos a receita de repelente com cravo da índia aqui em casa. Minha esposa e minha filha pegaram a dengue, mesmo utilizando o produto. E olha que eu chego a ser neurótico com relação a doenças (a ponto de comprar 3 frascos de 200 ml de repelente por semana, nas farmácias e supermercados, sem falar nos gastos com álcool para evitar a gripe). Após ter conhecimento do repelente à base de cravo da Índia, nós o confeccionamos exatamente como orientado e eu exigia que todos aqui em casa passassem o repelente a cada 2 ou 3 horas. Mesmo assim, repito, minha filha e minha esposa pegaram dengue. Ainda não sei onde houve a falha e gostaria de comentários e maiores orientações para que possamos utilizar produtos naturais com mais eficácia. Grato.

21 DE MARÇO DE 2010 14:56

ENTRETANTO...

Marlene disse...

A minha opinião não é médica. , porque não sou da área, mas posso dar o testemunho que esse repelente caseiro funciona. Morei muito tempo no interior do Ceará, onde não havia saneamento básico. Na minha fazenda tínhamos poço artesiano, mas a maioria da população pegava água de rio, açúdes ou caçambas. E em época de inverno onde há muita chuva dava muita praga de mosquitos e as doenças se proliferavam muito rapidamente., Como professora da escola única da cidade, eu ensinei a população a fazer e usar esse repelente caseiro de cravo da índia e a incendência dos casos de doenças tranmíssívies pelos mosquitos baixou consideravelmente. Eu uso sim, porque para mim funciona. Tenho o sempre em casa.

14 DE ABRIL DE 2009 14:20

RESPOSTA A FREDERICO.

Frederico, eu sinto muito mesmo. Eu não sei o que dizer a você. Todos estes posts sobre a dengue é com o intuito de colaborar, nunca causar mal, ou por omissão ou por falsa informação. Conheço o repelente caseiro a décadas pelo simples motivo que meu pai adora pescar e caçar rãs. utilizávamos e ainda utilizo o repelente sempre com sucesso. este repelente é muito conhecido entre os pescadores por sua eficácia e baixo custo. Aqui em casa tenho utilizado o preparado inclusive em refil de aparelho elétrico, e não tenho problemas com mosquitos ou pernilongos, mesmo na época das chuvas. A Senhora Ioshiko Nobukuni também conhece a eficácia do preparado e distribui gratuitamente frascos com repelente caseiro para a população junto com a receita. O que pode ter dado errado com sua família eu não sei, a receita é simples e não tem como errar. Uma forma de proteger sua família de maneira natural é colocar telas muito finas nas janelas e manter as portas fechadas ao amanhecer e ao anoitecer que são os horários em que a fêmea do mosquito mais ataca. ter vasos de plantas como citronela e manjericão espalhados pela casa também ajuda.
A situação é tão complexa que para você ter uma idéia a defesa sanitária ampliou a lista de criadouros. Qualquer depressão de terreno, buraco, onde se acumule água, por menor que seja é um criadouro em potencial. Estamos todos juntos nesta luta e qualquer informação que ajude a proteger as pessoas é importante. Atacar todas as frentes e usar todas as armas, esta é nossa unica defesa...

quinta-feira, 4 de março de 2010

AFINAL. VOCÊ SABE QUAL O TAMANHO DO SEU RASTRO ECOLÓGICO?

Foto: GETTY IMAGES


Em primeiro lugar. Você já teve a curiosidade de clicar neste banner que está abaixo do título do blog?
É. Este que pede para você calcular sua pegada ecológica.

A primeira vez que vi esta frase fiquei curiosa e fui pesquisar, afinal, o que é pegada ecológica?

Pegada ecológica nada mais é do que os rastros que deixamos no mundo. Já ouviu falar em SAMBAQUI? De vez em quando vemos alguma notícia de que tal obra foi interrompida por que foi encontrado um sambaqui no local das escavações e os arqueólogos precisam preservar o sítio para que possam estudar o modo de vida da população que vivia ali. Pois bem, sambaqui é o lixo que aquela população acumulou durante a sua existência, uma parte da sua pegada ecológica, pois o contexto é bem mais amplo. Se você consome duas vezes mais bife que a média de seu país, sua pegada é duas vezes maior, o mesmo acontece com a água que você utiliza, com o lixo que produz.

O termo PEGADA ECOLÓGICA foi criado em 1990 pela Universidade da Colúmbia Britânica e significa:
(...)a demanda que temos de área, terra produtiva e ecossistemas para produzir os recursos de que precisamos e reciclar os resíduos que produzimos.(...) Mariusa Colombo

É Mariusa (bióloga especialista em Saneamento Ambiental, pela Uiversidade de Bolonha, Itália.) quem nos diz que nossa pegada está em torno de 1,30 e isto quer dizer que já ultrapassamos a capacidade do planeta, produzimos um déficit ecológico.
Agora surge a pergunta: quanto ainda temos de recursos disponíveis? Desde 70 que a humanidade tem exaurido a capacidade de regeneração do planeta que precisa de 1 ano e 5 meses para regenerar o que consumimos em 1 ano.

Saber o tamanho de nossa pegada individual ou coletiva, nos ajuda a administrar melhor nossos recursos e com isso utilizar com maior sabedoria tudo o que a Terra nos dá.

Muitas são as formas de reduzirmos nosso rastro, e vou citar apenas um exemplo de uma doce senhora blogueira que tem muito a nos ensinar sobre respeito ao meio ambiente. Alcione do blog DE BEM COM A NATUREZA produziu uma mini cartilha que ensina como descartar embalagens tetra pack. Confira no blog de Alcione muitas outras dicas de respeito ao meio ambiente.



BLOG DE BEM COM A NATUREZA

Fontes de pesquisa: www.wwf.org.br
Revista SELEÇÕES março/2010

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

FESTA NA ROÇA - COLHEITA DO MILHO VERDE


Para o caboclo nada mais lembra fartura do que uma roça de milho na época da colheita. Paiol cheio é sinônimo de barriga cheia. O milho é originário das américas e Colombo quando aqui chegou nem por um minuto imaginou que a maior riqueza que ele havia descoberto nada tinha a ver com minérios ou especiarias. Levado a Europa como curiosidade, não demorou muito para o milho ser incorporado ao cardápio do europeu, principalmente a Itália que criou um dos pratos mais populares, a famosa polenta, cantada em verso e prosa pelos italianos.



HISTÓRIA

Segundo especialistas, a história do milho remonta aos primórdios da pré-história americana. Indícios fossilizados da planta foram descobertos no México provando que a aproximadamente 7000 anos atrás o povo que habitava aquela região já consumia espécies primitivas de milho. Ao longo dos séculos as civilizações pré-colombianas foram selecionando e domesticando as espécies primitivas do cereal e este processo se intensificou a partir da década de 30 com os avanços da genética.



CURIOSIDADES

Volperine nos diz:

Há mais de 3.500 usos diferentes para os produtos que se extraem do milho. Todos os dias se descobrem novos usos. Em muitas ocasiões os produtos finais conseguidos são mais ecológicos do que os habitualmente utilizados, especialmente dos derivados do petróleo.


Muitos dos sabonetes utilizados em nosso banho, gel e cosméticos incluem derivados de milho na sua formulação.
Milho nos legumes em conserva, margarina, mostarda, maionese, ketchup, e na frutose que adoça muitas sobremesas, iogurtes (açúcar do milho para adoçar), congelados, sorvetes.
(A carne e os ovos que consumimos, são provenientes de animais que foram alimentados com rações em que a sua composição em milho em percentagem muito alta), principalmente em glúten.


O milho também é amplamente utilizado na medicina popular contra: a hepatite, hipertensão, a diabetes, a menopausa, os padecimentos renais, cálculos, reumatismo, as verrugas, tumores e outros males, na forma de cataplasmas, cozidos, ungüentos e emplastros. a infusão dos denominados cabelos de anjo, chamados também as ‘barbas do milho’ e um excelente diurético. Essas barbas do milho tem virtudes diuréticas extremamente eficazes e uma ação muito segura quando são bem aplicadas; jamais irritam. Sempre que seja necessário ativar a secreção urinária podem ser utilizado com excelentes resultados; por exemplo: nos estados febris, inflamações da bexiga, pedras no rim, doenças cardíacas, etc. Além do mais, a infusão destes filamentos estilares é inócua e pode consumir-se quantas vezes quiser.
Se essa dificuldade em urinar tiver como origem uma inflamação da próstata, Só nestes casos deve-se evitar esta infusão, porque aumentaria a inflamação e o sofrimento do doente.
Ler mais em CIBER.MIRO

No site de ROSEANE VOLPATO encontrei belas lendas indígenas que contam como os deuses ofertaram o milho ao homem. Uma destas lendas de origem Guarani, conta como dois amigos pediram ao Grande Espírito que lhes dessem um alimento para que pudessem sobreviver durante as épocas de escassez. Viram então sair da mata um forte guerreiro envolto em raios de luz, o guerreiro disse a eles que deveriam lutar com ele e que quem perdesse deveria se sacrificar e ser enterrado ao lado da cabana. Assim fizeram, o mais fraco era Avaty e seu amigo, lamentando a perda do amigo, deu a ele uma sepultura ao lado da cabana, como havia ordenado o poderoso guerreiro. Nos primeiros dias da primavera viram com alegria que da sepultura de Avaty brotou uma planta muito bela com grandes folhas verdes e espigas suculentas e douradas que saciaram a fome das duas famílias e de quem mais cultivasse seus grãos. Em homenagem ao indio sacrificado os guaranis deram o seu nome à generosa planta.

Lendas a parte, o milho faz parte de nossas vidas, principalmente na mesa do caboclo que criou manjares dignos dos deuses como a especialíssima pamonha. Confiram no blog RECEITAS DA DONA CIDA uma receita especial com passo a passo da tradicional pamonha da roça.



terça-feira, 19 de janeiro de 2010

ZILDA ARNS - MISSÃO CUMPRIDA



Recebi este texto hoje e considero a melhor homenagem dedicada a esta mulher iluminada. Ela soube viver o cristianismo em sua essência mais pura e honrar o juramento de Hipócrates.

O legado profético de Zilda Arns
(Leonardo Boff)

Já se fizeram todos os elogios devidos à médica brasileira, Zilda Arns, irmã do Cardeal dos direitos humanos, Paulo Evaristo Arns, que sucumbiu sob as ruinas do terremoto no Haiti.

Talvez a opinião pública mundial não se tenha dado conta da importância desta mulher que em 2006 foi apontada como candidata ao prêmio Nobel da Paz. E bem que o merecia, pois dedicou toda sua vida à saúde das pessoas mais vulneráveis.

Por 25 anos coordenou a Pastoral da Criança acompanhando mais um milhão e 800 mil menores de cinco anos e mais de um milhão e 400 famílias pobres.

A partir de 2004 iniciou a Pastoral da Pessoa Idosa com mais de cem mil idosos envolvidos. Com meios simples como o soro caseiro, o alimento à base da multimistura e outros recursos mínimos, salvou milhares de crianças que antes fatalmente morriam.

Seria longo historiar seu extraordinário trabalho difundido já em mais de 20 paises pobres do mundo. O que pretendo é enfatizar os valores do capital espiritual que sustentaram a sua prática. Nisso ela ia contra o sistema dominante e serve de inspiração para hoje.

É convicção crescente que não sairemos da crise de civilização atual se continuarmos com os mesmos hábitos e os mesmos valores consumistas e individualistas que temos. Ela mostrou como pode ser diferente e melhor.

A Dr. Zilda honrou o cristianismo, vivendo uma mística de amor à humanidade sofredora, de esperança de que sempre se pode fazer alguma coisa para salvar vidas, de fé na força dos fracos que se organizam e na escuta de todos até das crianças que ainda não falam.

Ela tinha clara consciência de que a solução vem de baixo, da sociedade que se mobiliza, sem com isso dispensar o que o Estado deve fazer. Problemas sociais se resolvem a partir da sociedade. Para isso, ela suscitou a sensibilidade humanitária que se esconde em cada pessoa e inaugurou a política da boa vontade.

Mais de 250 mil voluntários, sem nenhum ônus financeiro, se propuseram assumir os trabalhos junto com ela.

Uma idéia-geradora movia sua ação, copiada da prática de Jesus: multiplicar. Não apenas pães e peixes como Ele fez mas, nas condições de hoje, multiplicar o saber, a solidariedade e os esforços.

Multiplicar o saber implica repassar às pessoas simples os rudimentos de higiene, o cuidado pela água, a medição do peso e a alimentação adequada às crianças. Esse saber reforça a auto-estima das pessoas e confere autonomia à sociedade civil.

Multiplicar a solidariedade que, para ser universal, deve partir dos últimos, buscando atingir as pessoas que vivem nos rincões onde ninguém vai, tentar salvar a criança mais desnutrida e quase agonizante. Essa solidariedade é a que menos existe no mundo atual.

Multiplicar esforços, envolvendo as políticas públicas, as ONGs, os grupos de base, as empresas em sua responsabilidade social, enfim, todos os que colocam a vida e o amor acima do lucro e da vantagem. Mas antes de tudo multiplicar a boa-vontade generosa.

Ora, são estes conteúdos do capital espiritual que devem estar na base da nova sociedade mundial que importa gestar. O século XXI será o século do cuidado pela vida e pela Terra ou será o século de nossa auto-destruição. Até agora globalizamos a economia e as comunicações.

Temos que globalizar a consciência planetária e multiplicar o saber útil à vida, a solidariedade universal, os esforços que visam construir aquilo que ainda não foi ensaiado. Amor e solidariedade não entram nas estatísticas nem nos cálculos econômicos

Mas são eles que mais buscamos e que nos podem salvar.

A médica Zilda Arns seguramente sem o saber, mas profeticamente, nos mostrou em miniatura que esse mundo não é só possível, mas é realizável já agora.



Leonardo Boff é teólogo
Related Posts with Thumbnails