terça-feira, 10 de março de 2009

Jurubeba - Solanum paniculatum



Aqui em casa nunca falta jurubeba em conserva. Tanto eu quanto meu marido gostamos muito e devido a sua grande disseminação pelo país, nunca falta no estoque. É entretanto, bom conhecer bem a planta, pois existem espécies que são altamente tóxicas. Como de costume, fui às pesquisas e encontrei pouco, mas extenso material a respeito. Aqui está um pequeno resumo do que encontrei no geocites.




Jurubeba

Nome científico: Solanum paniculatum L.(jurubeba verdadeira)
Família Solanaceae

Nomes populares são: Jurubeba, Jurubeba-verdadeira, Jupeba, Juribeba, urupeba, Gerobeba e Joá-manso, juribebe, jurubeba verdadeira, jurupeba-altera, jurubebinha, juripeba.


Origem: O nome vulgar deriva do tupi "yú", espinho, e "peba", chato.
Solanum é o gênero mais representativo da família Solanaceae e consiste de cerca de 1.500 espécies perenes, arbustos, árvores, e trepadoras, sendo um dos mais numerosos do mundo.
As propriedades medicinais da alcaçuz são conhecidas há mais de 3000 anos. Egípcios e gregos o apreciavam pelo sabor suave e calmante.Arbusto que cresce sobretudo na Europa Meridional e na Ásia Menor.
Apresenta muitas plantas úteis usadas na alimentação e também muitas plantas infestantes ou daninhas.

Só no Estado de Santa Catarina em 1966 foram levantadas 73 espécies do gênero Solanum, algumas com diversas variedades. Com mais algumas espécies que só ocorrem em outras regiões, a ocorrência no Brasil seguramente ultrapassa 100 espécies. A maioria das plantas do gênero Solanum contém alcalóides tóxicos. Em algumas espécies de Solanum, certas partes são comestíveis enquanto outras partes da mesma planta são muito venenosas, O melhor exemplo conhecido é a batata (Solanum tuberosum) que tem folhagem e frutos venenosos e tem tubérculos comestíveis (embora estes fiquem venenosos quando se tornam verdes pela exposição prolongada à luz).

Solanum paniculatum é uma planta nativa nas Regiões Norte e Nordeste do Brasil, tendo se espalhado por outras regiões, podendo ser encontrada até no Rio Grande do Sul, onde todavia é pouco freqüente. Ocorrem duas formas de Solanum paniculatum: uma com folhas mais recortadas (em plantas adultas) e inflorescências com rácemos mais longos; outra com folhas menos recortadas (em plantas adultas) e inflorescências com rácemos mais curtos, portanto com menos flores.





A origem do nome vem do adjetivo latino"paniculatum", paniculado, pelo tipo de inflorescência. As principais características e Cultivo:
Arbustivas, perenes, com caules e ramos espinhosos, reproduzida por semente. Folhas sinuadas.É um arbusto ou pequena árvore com até 3m de altura armada com espinhos curtos e curvos. A inflorescência aparece na parte terminal dos ramos, onde se concentram muitas folhas aproximadas,elevando-se longos pedúnculos, com até 15cm de comprimento. Inflorescências cimosas e de flores azuis (Solanum paniculatum L) ou brancas ( (Solanum variabile Mart). O fruto é uma baga esférica, amarelada quando madura, presa a um pedúnculo comprido.Dá em cachos. Reprodução por sementes e vegetativamente por rizomas. Solos semi-arenosos e ácidos.

Partes usadas; Raízes, folhas e frutos

Uso e Indicações:
Diurética, desobstruente tônico, antiinflamatória. Emprega-se popularmente com bom resultado para combater as icterícias, cistites, febres intermitentes, prisão de ventre e as inflamações do baço(suco dos frutos).
Externamente empregam-se as folhas amassadas sobre machucados.
A raiz é indicada nas dispepsias atônicas e na diabete.
Desobstruente do fígado.
Maceração: 4 gs de folhas ou frutos verdes em um copo de água fria; também consumida sob forma de vinhos, bastando para tanto deixar macerar no vinho branco.
Infusão: 2 col de sopa de folhas ou flores ou fruots picados para 1 litro de água fervente. Tomar 3 xícaras de chá morno, sem açúcar, por dia.
A planta é muito utilizada na farmacopéia popular, sendo utilizadas as folhas, os frutos verdes e as raízes no preparo de infusões e decoctos e são usados nas doenças hepáticas, icterícias e como diurético.
Atribue-se à planta efeitos como febrífuga, emenagoga, bem como estimulante das funções digestivas, do fígado, etc.
Aqui vale uma curiosidade, a jurubeba é considerada altamente afrodisíaco.

Receita de conserva de jurubeba



1 kg de jurubebas frescas ( somente os frutos verdes são comestíveis)
1 litro de vinagre ou suco de limão fervido
sal e temperos a gosto
alho e pimenta a gosto

Como preparar:

1- Limpe e lave muito bem as frutinhas. Leve ao fogo em água fria, espere ferver, assim que levantar fervura, retire do fogo e escorra. Enxague e repita o processo por pelo menos 7 vezes, quanto mais vezes repetir o processo, menos amarga ficará a conserva.

2- Coloque as jurubebas em um vidro esterilizado, junte os temperos, acrescente o vinagre ou suco de limão. Feche o vidro e aguarde pelo menos um mês antes de utilizar, para que a conserva tome gosto. Quando for consumir, retire algumas frutinhas da conserva e coloque no prato, junto com a comida, como se fosse pimenta. É ótima para problemas de fígado ou má digestão.

10 comentários:

Nosalai disse...

Amiga não estou conseguindo encontrar o novo blog cadê?? Esta aqui ou desmembrado?
Beijos

Tânia Saj disse...

Miga....a única menção que tenho do nome "Jurubeba" é de uma bebida (que também nunca experimentei)....
Achei bárbaro este seu post....e agora vou prestar atenção se por estas bandas existe algum pé desta plantinha.....eu iria adorar experimentar essas conservas, ainda mais sabendo de suas propriedades medicinais!
Bjsss

João Marcelo disse...

Gostaria de saber aonde encontro mudas e como cultivar pois ja plantei duas mudas que encontrei no interior mas ambas morreram.

João Marcelo disse...

Gostaria de saber aonde encontrar mudas,pois ja plantei duas mudas mas ambas morreram.

Márcia Regina disse...

João Marcelo, respondendo a tua pergunta, eu já fiz algumas mudas com sementes. Entretanto, nunca me preocupei muito com isto, pois em todo canto por onde já andei (no Brasil) eu encontrei a jurubeba em estado selvagem. Existe uma diferença entre as comestíveis e as ditas venenosas, mas é preciso conhecer bem a planta. eu estou a espera de que alguns pés que encontrei aqui em Lavras dêem frutos, eles estão com flores. Vou aproveitar a tua idéia e colher algumas maduras para retirar sementes, assim posso enviar a amigos como você. Um abraço.

Jorgeti disse...

Marcia, na procura pelo google encontrei seu blog, sou do interior de sp e gostaria de saber se vc saberia me informar o contato de alguém q faça as conservas de jurubeba p comercializar, uma pessoa trazia p mim, de Monte Carmelo(Sabor de Minas) e acabou n vindo mais...se vc puder me ajudar, agradeço...

angela disse...

Marcia querida,boa noite.
Nasceu um pé no meu quintal e está cheinho de frutos verdes.Estou doidinha pra fazer as conservas,mas com medo de que seja a jurubeba venenosa.
Acho que não ,mas como diferencia-las?
Me ajude,por favor.Obrigada.Bjus.
Meu e-mail angelafassoni@bol.com.br

Victor disse...

Ola pessoa, quem estiver a fim de Jrubeba, tenho um pé aqui em casa e estou tirando mudas. Sou de Brasilia quem quizer me mande e-mail victorespecial@gmail.com

Agnes disse...

Assim como a Angela,gostaria de saber como diferenciar a planta comestível e a venenosa.
Tenho dezenas de arbusto de jurubeba em meu terreno e gostaria de poder desfrutar delas.
Por favor como faço para diferencia-las?
Antecipadamente grata.
Agnes

Eyd Layne disse...

Puxa, qdo tiver sementes, lembre-se de mim! comprei na feira e fiz uma conserva com azeitonas que ficou uma delicia, Elas pegam um pouco do gostinho das azeitonas. Só que não as encontrei maduras para retirar as sementes....

Related Posts with Thumbnails