sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Tesouros de Minas



Tem certas coisas que você não encontra em todo e qualquer lugar. São especiarias e temperos, ingredientes e outras delicias que são específicas de cada região. Umbú no nordeste, cupuaçú no norte, pimenta bode em Minas. Minas é uma campeã. Em que outro lugar você encontra uma farinha bijú como esta.


Nesta minha viagem a Minas, trouxe na bagagem alguns tesouros.

Farinha de mandioca bijú e polvilho caipira de Monte Alegre de Minas, na saida de Uberlândia em direção a Uberaba, chova ou faça sol, domingo ou feriado, você encontra uma kombi branca no acostamento. Já sou freguesa deles a 3 anos e só passo por lá duas ou três vezes ao ano. Se passar por lá, não tenha dúvidas, pare e experimente a melhor farinha de mandioca bijú que você já provou. Um saco enorme por 10 reais, vale realmente a pena. Além do polvilho alvo e soltinho, que dá cada pão de queijo.


Outro tesouro que trouxe de Minas foram as pimentas, principalmente as bode, vermelhas e amarelas. O pessoal desta região em que moro, não tem uma tradição em pimentas. Fiquei decepcionada ao ir a feira livre e não encontrar uma pimenta sequer. Não tive dúvidas, fã de pimentas como sou, trouxe pimentas em conserva de Uberaba e algumas in natura que fiz conserva assim que cheguei de viagem. Fiz inclusive uma conserva de pimenta em molho de pequi que passo a receita a seguir.


Conserva de pimenta bode em molho de pequi



1 kg de pimentas de sua preferência, lavadas e escorridas.
1 colher (sopa) de tempero pronto
1 kg de pequi fresco ou duas colheres (sopa) massa de pequi
1 garrafa ou vidro com tampa de rosca esterilizado
1 xícara (chá) de vinagre de maçã ou suco de limão

Modo de preparo:

1- Coloque os pequis para cozinhar, assim que levantar fervura, conte 10 minutos e desligue o fogo. Retire os pequis e reserve para outras receitas.

2- Pegue a água do cozimento e leve ao fogo novamente. Deixe reduzir pela metade, junte vinagre de maçã ou suco de limão, mais ou menos 1 xícara de chá, o tempero pronto e se desejar, dentes de alho inteiros e descascados.

3- Coloque as pimentas no vidro ou garrafa, despeje o molho fervente . É aconselhável realizar este processo com o vidro em banho maria, para que não trinque por choque térmico. Deixe esfriar naturalmente. Tampe e espere duas semanas antes de utilizar.
Se desejar um molho mais picante, junte duas colheres de óleo de soja ao molho fervente.

2 comentários:

Ana Mariza disse...

Receita perfeita. Márcia que coisa maravilhosa é nosso país, com seus contrastes e suas maravilhas. Mas isto é muito bom, esta diversidade me encanta e Minas Gerais, é um estado abençoado... ih....mais uma afinidade, tb adoro comprar estas maravilhas quando viajo. Bjs amiga

Marlene disse...

Marcia amiga...só vc mesmo! Essa do molho de pequi é cabeça de marcia ehehehehe! Marcia tem coisa melhor que viajar? Menina qdo eu viajo eu visto a camisa...ehehe compro tudo que eu posso carregar e tb o que não posso e depois fico doidinha ehehehe. Essas pimentas me lembram qdo morava no sítio no CE que fazia molho de pimenta com leite mugido eheheh todo dia colocando um pouquinho do leite tirado na hora dentro das garrafas amarradas ao tempo...saudades demai!...Nossa amiga que maravilha tudo que vc trouxe...É AQUELA FRASE CERTA CANTE COMIGO "QUANDO EU VIM DE MINAS...TROUXE OURO EM PÓ QUANDO EU VIM..."
Beijos amiga!

Related Posts with Thumbnails